Em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira, 24, o porta-voz do Talibã exigiu que países estrangeiros parem de “encorajar” a população a fugir do Afeganistão. Zabihullah Mujahid afirmou que o grupo fundamentalista “não é a favor” da migração em massa.

Segundo o porta-voz, os Estados Unidos estão levando os “especialistas afegãos” e profissionais qualificados. “Pedimos que ponham fim a estas operações”, acrescentou, em entrevista em Cabul.

Mujahid afirmou ainda que o Talibã quer que todos os estrangeiros sejam retirados do país até 31 de agosto e que não permitirá uma extensão do prazo para a ocupação americana.

Desde que os talibãs tomaram Cabul e assumiram o controle do governo central há pouco mais de uma semana, mais de 50.000 afegãos e estrangeiros fugiram do país por meio do aeroporto de Cabul. Diversas nações se organizaram para tirar seus cidadãos do país em voos militares.

Reunião com a CIA

Segundo a imprensa americana, o diretor da CIA, William Burns, se reuniu secretamente no Afeganistão com Mullah Abdul Ghani Baradar, um dos cofundadores do Talibã e chefe político do grupo extremista na segunda-feira 23. Este é o maior encontro entre o governo Joe Biden e o grupo extremista desde que os terroristas voltaram ao poder após 20 anos.

Procurada pela imprensa, a CIA se recusou a comentar a reunião. Baradar liderou o acordo de paz do Talibã com os EUA, durante o governo Donald Trump, e também negociava um cessar-fogo com o antigo governo afegão, antes da sua queda. Veja.